Passar para o conteúdo principal
x

Linux Kernel e Algumas Distribuições a Experimentar em 2018

Hoje, jovens, trago-vos uma breve resenha do que é o kernel e algumas distribuições que irei explorar um pouco mais profundamente este ano!

O kernel do Linux é a parte essencial de qualquer sistema operativo Linux. É responsável pela alocação de recursos, interfaces de hardware de baixo nível, segurança, comunicações simples, gestão básica do sistema de arquivos entre outros recursos.

Desenhado a partir do zero por Linus Torvalds (com a ajuda de outros analistas e programadores), o Linux é um "clone" do sistema UNIX. É voltado para conformidade com as especificações POSIX e UNIX.

Resumo de recursos
O Linux vem com recursos poderosos, como a multi-tarefa verdadeira, a rede multiétnica, as bibliotecas partilhadas, a memória virtual e a gestão adequada da memória, etc. Inicialmente projectado apenas para computadores baseados em 386/486, o Linux suporta actualmente uma ampla gama de arquitecturas, incluindo 64 bits (IA64, AMD64), ARM, ARM64, DEC Alpha, MIPS, SUN Sparc, Power Systems da IBM, entre muitas outras.

O componente mais essencial de um sistema GNU / Linux
O componente mais essencial de um sistema baseado em Linux é o kernel. Sem ele, todo o sistema (bibliotecas, aplicações, etc.) é inútil. Ao criar uma distribuição Linux, também é muito importante saber como optimizar correctamente o kernel do Linux, para que ele suporte certos componentes de hardware ou reconheça dispositivos específicos.

Distribuído em múltiplos ramos estáveis
Não se deve confundir os muitos ramos estáveis ​​do kernel do Linux, pois estão disponíveis para diferentes fins. Por exemplo, existem vários ramos LTS (Suporte a longo prazo) que são normalmente usados ​​para implementar sistemas Linux estáveis. Actualmente, os principais programadores de distribuição Linux fornecem aos utilizadores pacotes de kernel optimizados para diferentes fins. No entanto, os utilizadores avançados podem configurar, compilar e instalar seus próprios kernels directamente dos pacotes originais. 

O coração de uma distribuição Linux
O kernel do Linux é o coração de uma distribuição Linux. Se é um utilizador do Linux há muito tempo, pode provavelmente ter reparado em actualizações do kernel, que levam a um melhor suporte para certos componentes de hardware ou periféricos.
 

A nível de distribuições para além do popular Debian, que é a distribuição que uso à mais de 15 anos, há distribuições que se têm destacado recentemente pelas inovações incluídas e também pelo sempre importante look and feel e suporte.

O SoluOS é uma distribuição GNU/Linux moderna para iniciantes no linux, oferece um bom suporte para as tecnologias modernas.

Esta distribuição traz como ambiente gráfico o Budgie, várias optimizações ao nível do software integrado e também melhorias na generalidade do sistema que permitem ter ao utilizador uma boa experiência de utilização.

solus.jpg

 

O Deepin é uma distribuição chinesa de Linux, também baseada no Debian, que vem com um ambiente gráfico bastante elegante, eficiente e simplificado que dá pelo nome de Deepin Desktop Environment (DDE) – parece um misto de Windows com OS X.

A cada versão as novidades, especialmente ao nível da interface, são bastante significativas.

Como seria de esperar, com o aumento da sua popularidade e mais utilizadores a quantidade de erros descobertos também aumentou, mas no fundo é mesmo assim, quanto maior o numero de utilizadores, mais hardware é utilizado e diversificado e o sistema é colocado em mais combinações de configurações.

deepin-Linux-distro-for-beginners.jpg


O elementary OS é uma distribuição, baseada no Ubuntu e direccionada para desktops. Esta distribuição tem um fantástico look and feel e garante um bom desempenho.

ose_light___xtrlght_gtk_themes_for_elementary_os_by_wefunkster-dbh88n2.png

 

Pop!_OS é um o nome (original) que a empresa System76 (fabricante de referência no mercado do Linux) decidiu dar ao seu novo sistema operativo direccionado para quem costuma “criar” coisas com o computador. 

O objectivo desta distribuição é facilitar o trabalho de engenheiros, programadores, etc, garantindo a melhor produtividade de cada um. Bryan Lunduke, muito conhecido no mundo do Linux, assérrimo defensor do software livre já por diversas vezes indicou que é o sistema que utiliza na sua máquina de produção.

maxresdefaultpop.jpg


O Manjaro é uma das distribuições que felizmente já tive o prazer de experimentar e que tenho instalado no meu velhinho Ellitebook de 2013!!! Fiquei imensamente satisfeito com a sua performance e facilidade de utilização! É uma das distribuições que mais gosto, bonita, que facilita a “entrada” dos utilizadores no mundo do Arch Linux. É uma rolling distro e tem total compatibilidade com os repositórios do Arch (AUR – Arch User Repository).

manjaro_slide-2-170.jpg

 

Como sabemos as diferenças entre as distribuições não serão assim tão significativas pois a base é idêntica na grande maioria dos casos... Algumas são mais conhecidas, estáveis e óptimas para serem o nosso sistema operativo do dia a dia, mas outras nem tanto... acho que só poderei recomendar efectivamente o Débian, o Manjaro ou até o Pop!_OS... qualquer uma das restantes distros, embora já com alguma referência e notoriedade, devem ser levadas em consideração mas sempre numa base de "testes" e "exploração" do sistema.

Conhecem outras distros que se possam destacar em 2018?

 

Espero que este artigo lhe tenha sido útil!

Até à próxima!

Deixem ficar os vossos comentários e sugestões!


Detectou algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a esse artigo? Colabore, clique aqui e ajude a melhorar o conteúdo.