Passar para o conteúdo principal
x
WF14

O WildFly é um servidor de aplicações Java gratuito e de código aberto conhecido anteriormente como JBoss. Ele é desenvolvido em Java e usado para construir e hospedar aplicativos Java e outros aplicativos e serviços baseados na Web.

Requisitos do WildFly

Para executar o WildFly em Debian 9, é necessário ter acesso super sutilizador e o Java 8 instalado.

Depois de termos o nosso sistema instalado, sendo altamente recomendada a utilização de um endereço IP fixo, faça o login via SSH e caso ainda não o tenha feito, atualize o seu sistema

Para instalar o java, e agora recomendo vivamente que utilize o OpenJDK, faça:

apt-get install default-jdk

Confirme as questões que lhe são colocadas no terminal e quando terminal se quiser confirmar que versão está instalada escreva:

java -version

O resultado será semelhante ao seguinte:

openjdk version "1.8.0_181"
OpenJDK Runtime Environment (build 1.8.0_181-8u181-b13-1~deb9u1-b13)
OpenJDK 64-Bit Server VM (build 25.181-b13, mixed mode)

Vamos então para a instalação propriamente dita do Wildfly:

cd /opt
wget http://download.jboss.org/wildfly/14.0.1.Final/wildfly-14.0.1.Final.tar.gz
tar -xvzf wildfly-14.0.1.Final.tar.gz
mv wildfly-14.0.1.Final wildfly

Agora criamos um grupo e utilizador

groupadd -r wildfly
useradd -r -g wildfly -d /opt/wildfly -s /sbin/nologin wildfly

Criamos agora um arquivo de configuração:

nano /etc/default/wildfly

E introduzimos o seguinte para que carregue a configuração 'standalone'

WILDFLY_USER="wildfly"
STARTUP_WAIT=180
SHUTDOWN_WAIT=30
WILDFLY_CONFIG=standalone.xml
WILDFLY_MODE=standalone
WILDFLY_BIND=0.0.0.0

Certificamos-nos que as permissões do arquivo estão correctas:

chmod 755 /opt/wildfly/bin/launch.sh

chown wildfly:wildfly -R /opt/wildfly/

Criamos o arquivo do serviço :

nano /etc/systemd/system/wildfly.service

E introduzimos o seguinte:

[Unit]
Description=The WildFly Application Server
After=syslog.target network.target
Before=apache2.service

[Service]
Environment=LAUNCH_JBOSS_IN_BACKGROUND=1
EnvironmentFile=/etc/default/wildfly
User=wildfly
LimitNOFILE=102642
PIDFile=/var/run/wildfly/wildfly.pid
ExecStart=/opt/wildfly/bin/launch.sh $WILDFLY_MODE $WILDFLY_CONFIG $WILDFLY_BIND
StandardOutput=null

[Install]
WantedBy=multi-user.target

Recarregamos a configuraçao do gestor do systemd

systemctl daemon-reload

Iniciamos o serviço e preparamos o arranque automático

systemctl start wildfly

systemctl enable wildfly

Para se aceder à consola de administração a partir de qualquer ponto temos a necessidade de editar o arquivo de configuração

nano /opt/wildfly/standalone/configuration/standalone.xml

Localizamos a secção

<interface name=”management”>
<inet-address value=”${jboss.bind.address.management:127.0.0.1}”/>
</interface>
<interface name=”public”>
<inet-address value=”${jboss.bind.address:0.0.0.0}”/>
</interface>

E substituimos por:

<interface name=”management”>
<any-address/&gt;
</interface>
<interface name=”public”>
<any-address/>
</interface>

Reiniciamos o serviço do wildfly.

systemctl restart wildfly

Necessitamos ainda de adiconar o utilizador/administrador da consola

/opt/wildfly/bin/add-user.sh

Seleccionamos a opção a) para criar um utilizador de administração, posteriormente escolhemos o nome de utilizador e a r3espectiva senha de acesso à consola.

Agora que o Wildfly está instalado no Debian podemos carregar as nossas aplicações...

Mas se utilizarmos aplicações JAVA que necessitem do eclipselink para comunicar com as Bases de dados necessitamos de mais alguns passos suplementares para podermos carregar a nossa aplicação.

O eclipse link encontra-se disponível em http://www.eclipse.org/eclipselink/downloads/

Depois de executarmos o download, temos que o copiar para

/opt/wildfly/modules/system/layers/base/org/eclipse/persistence/main

Depois temos de editar o arquivo module.xml e alterar a entrada "resources" colocando o conteúdo seguinte:

<resources>
        <resource-root path="eclipselink.jar">
                <filter>
                        <exclude path="javax/**" />
                </filter>
        </resource-root>
    </resources>

 

Reiniciamos o serviço do wildfly e está terminado o processo de instalação.

systemctl restart wildfly

 

Se pretendemos estabelecer ligações SSL ao wildfly, temos primeiro que gerar o certificado para o efeito:

cd /opt/wildfly/standalone/configuration
sudo keytool -genkey -alias server -keyalg RSA -validity 3650 -keysize 2048 -keystore server.keystore
sudo chown wildfly:wildfly ./server.keystore

Para "forçar" conexões seguras ao servidor, editar o arquivo web.xml

<user-data-constraint>
     <transport-guarantee>CONFIDENTIAL</transport-guarantee>
</user-data-constraint>

Mas para obtermos o resultado pretendido necessitamos primeiro de editar o arquivo standalone.xml localizado em /opt/wildfly/standalone/configuration e adicionamos o seguinte:

<security-realm name="ssl-realm">
 <server-identities>
  <ssl>
   <keystore path="server.keystore" relative-to="jboss.server.config.dir" keystore-password="keystore_password" alias="server" key-password="key_password" />
  </ssl>
 </server-identities>

No mesmo arquivo modificamos a configuração de forma a ficar como o seguinte:

<!--<http-listener name="default" socket-binding="http" />-->
<https-listener name="default" socket-binding="https" security-realm="ssl-realm"/>

Reiniciamos o serviço do wildfly e está terminado.

systemctl restart wildfly

 

 

Espero que este tutorial lhe tenha sido útil!

Até à próxima!

 

Deixem ficar os vossos comentários e sugestões!


Detectou algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a esse artigo? Colabore, clique aqui e ajude a melhorar o conteúdo.